Inovar EFA inovar Paa inovarPessoal Inovar Alunos spacer siga logo Serviço SMS spacer GSuite fit escola MoodlePed Mra spacer graphix my documents 283x283 Logo
C Geral EFA PAA Pessoal Consulta   Siga SMS   GSuite FitEscola MoodlePed   Facebook CRE FB Ass Pais

abril 2024
D Sb
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30

O Inovar no Telemóvel

Professor     Aluno
 android logo PNG34 iphone logo apple logo spacer android logo PNG34 iphone logo apple logo

Cursos Profissionais 2023/24

Visitantes desde 29 Out 2011

1723173
Hoje6005
Ontem8643
Esta Semana14366
Este Mês180761
Mais visitantes no dia... 10-02-2024 : 12099

Patrono

matilde rosa araujo

A Escola sede existe neste local desde o ano lectivo de 1985/1986, tendo na altura o nome de Escola Preparatória de S. Domingos de Rana .

Posteriormente, em Novembro de 1995, foi escolhido um patrono passando a escola a chamar-se Escola Básica 2+3 Matilde Rosa Araújo.

Matilde Rosa Araújo nasceu em Lisboa em 1921. Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi professora do Ensino Técnico Profissional em Lisboa e noutras cidades do País, assim como professora do primeiro Curso de Literatura para a Infância, que teve lugar na Escola do Magistério Primário de Lisboa.

Autora de livros de contos e poesia para o mundo adulto e de mais de duas dezenas de livros de contos e poesia para crianças, a sua temática centra-se em torno de três grandes eixos de orientação: a infância dourada, a infância agredida e a infância como projecto. 

Tem-se dedicado, ao longo da sua vida, aos problemas da criança e à defesa dos seus direitos. 

É autora de alguns volumes sobre a importância da infância na criação literária para adultos, sobre a importância da Literatura Infanto-Juvenil na formação da criança e sobre a educação do sentimento poético como mais-valia pedagógica. 

Recebeu os seguintes prémios no domínio de Literatura para a Infância

Grande Prémio de Literatura para Criança da Fundação Calouste Gulbenkian ex-aequo com Ricardo Alberty, em 1980; Prémio atribuído pela primeira vez, para o melhor livro estrangeiro (novela O Palhaço Verde), pela associação Paulista de Críticos de Arte de São Paulo, Brasil, em 1991; 

Prémio para o melhor livro para a Infância publicado no biénio 1994-1995, pelo livro de poemas Fadas Verdes, atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian, em 1996.” [1]